Gamificação no RH: veja 4 dicas de como usar!

4 minutos para ler

Dentre as diversas ferramentas que estão a disposição do setor de Recursos Humanos para engajar os colaboradores, não é um exagero dizer que a gamificação no RH é uma das mais importantes!

Por meio dela, os profissionais podem envolver e engajar as equipes de uma empresa em campanhas que podem estar relacionadas ao aumento de produtividade, capacitação ou até mesmo a conscientização sobre um tema importante.

Para atingir esse resultado, a metodologia faz uso de uma abordagem mais lúdica, baseada em jogos.

O processo envolve a criação de um objetivo, que deve ser alcançado pelos colaboradores, e uma recompensa que é dada a eles apenas no momento em que obtém sucesso!

Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura e descubra 4 dicas práticas para implementar a gamificação no RH da sua empresa!

1. Defina o objetivo da gamificação

O propósito da gamificação é engajar um grupo de pessoas para que elas realizem determinadas atividades, como opinar sobre um produto ou aprender um segundo idioma.

Por esse motivo, o primeiro passo a ser dado por uma gestão estratégica é estabelecer quais objetivos devem ser alcançados por meio da metodologia. Nesse momento, o time de gestores, em parceria com a equipe de RH, pode pensar em uma série de opções interessantes. Podemos citar as seguintes como exemplos:

  • aumentar a assiduidade dos colaboradores;
  • reduzir o índice de atrasos;
  • aumentar o número de vendas;
  • reduzir custos;
  • melhorar a interação entre os times;
  • promover treinamentos e campanhas de conscientização.

2. Alinhe a capacidade dos colaboradores com a dificuldade da proposta

Um dos pontos mais importantes da gamificação no RH é o desafio proposto pela tarefa. Mesmo que essa dificuldade aparente ser um tipo de barreira, ela leva os participantes do processo a esforçarem-se ainda mais, afinal, todos ficam entusiasmados com a ideia de superação.

Apesar disso, é necessário que os responsáveis pela gamificação analisem o desafio proposto para garantir que ele é, de fato, alcançável.

Caso os participantes do processo ainda não estejam preparados, o RH pode estabelecer dinâmicas mais simples e, assim, deixar que todos estejam no mesmo nível para atingir metas mais complexas.

3. Pense nas recompensas

Assim como os desafios, as recompensas que os colaboradores recebem no fim do processo são essenciais. Elas são as responsáveis por boa parte da motivação dos participantes, por isso, o RH precisa pensar em recompensas que compensam todo o esforço e dedicação dos participantes.

Além disso, é interessante que a premiação seja adequada a realidade da empresa. Como exemplo, podemos citar o pagamento de um adicional de assiduidade para os profissionais que atingirem um determinado número de dias sem faltas.

4. Compartilhe os resultados atingidos

Quando pensamos em meios de manter os colaboradores engajados, apresentar a eles o fruto de seus esforços é um dos mais importantes. Isso ocorre porque, quando uma pessoa sente que boas práticas realmente tem um retorno positivo, é natural que ela as mantenha.

Nesse contexto, compartilhar com os profissionais os impactos de sua dedicação ao projeto abre espaço para que eles notem o quanto suas ações influenciam os resultados da empresa. Naturalmente, isso tende a levá-los a se dedicar ainda mais nos próximos projetos!

Os benefícios da gamificação são muitos. Ela aumenta o engajamento dos colaboradores da empresa e, consequentemente, eles começam a desempenhar melhor as suas funções e ganham em produtividade.

Depois de ler nosso conteúdo, o que você pensa sobre a gamificação no RH? Tem interesse em implementá-la em sua empresa? Deixe um comentário e enriqueça a discussão com sua opinião!

Posts relacionados

Deixe um comentário