LGPD: 5 benefícios da Lei Geral de Proteção de Dados para as empresas

6 minutos para ler

Já não é novidade dizer que vivemos um cenário em que o acesso à informação ocorre de forma cada vez mais rápida. Naturalmente, isso gera uma série de vantagens para a sociedade e para os negócios. Apesar disso, é importante levar em consideração os riscos que um vazamento de dados pode causar. Para lidar com esse problema, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) foi criada.

O novo conjunto de leis conta com 65 artigos para regulamentar práticas como a coleta, a apuração e o armazenamento de dados.

Embora o projeto tenha criado um certo alvoroço nas empresas ao tornar sua adequação necessária, é importante ressaltar que ele tende a trazer uma série de vantagens com o potencial de melhorar o mercado brasileiro e de torná-lo mais competitivo.

Leia este artigo e descubra como a LGPD pode beneficiar seu negócio!

1. Relação mais próxima com o cliente

Com o fácil acesso à informação, os consumidores também tornaram-se mais atentos e exigentes. Hoje em dia, práticas como pesquisar a reputação de uma empresa antes de fechar negócio com ela e de criar feedbacks negativos, quando o produto ou serviço prestado não oferece um nível adequado de qualidade, são comuns.

Nesse cenário, o cliente já não está disposto a entregar seus dados pessoais de qualquer maneira. Isso é compreensível, afinal, essa atitude pode colocá-lo em risco e resultar em prejuízos.

Ao implementar os princípios da lei antecipadamente, uma companhia é capaz de demonstrar ao mercado o seu empenho em administrar de forma clara e segura as informações pessoais que estão a seus cuidados. Essa atitude pode funcionar como uma verdadeira vantagem competitiva, melhorando a imagem da empresa diante de seus clientes.

2. Contato com empresas parceiras

Em um mercado competitivo, é natural que empresas façam parcerias para garantir que seus serviços serão prestados do modo mais eficiente possível. É válido ressaltar que existe um amplo mercado de empresas que se dedicam a prestar serviços e oferecer produtos para outras empresas, em um modelo conhecido como Business-to-Business, ou B2B.

A grande questão é que essa relação entre companhias também tende a sofrer grandes mudanças. Isso ocorre porque um dos artigos da Lei Geral de Proteção de Dados adota um conceito conhecido como responsabilização solidária — caso uma companhia infrinja alguns dos artigos da LGPD, empresas parceiras podem sofrer sanções legais junto a ela.

Uma empresa séria, que se empenhou para implementar corretamente todos os pontos da nova legislação, não vai se arriscar a ser penalizada por estar ligada a uma empresa que não teve o mesmo interesse. Se levarmos o fato em consideração, é fácil perceber que, ao deixar de aderir à nova regra, um empresário pode ser afetado negativamente e por muitos fatores.

3. Atualização de dados armazenados

Outro ponto importante que deve ser analisado a respeito da LGPD é o fato de que, para se adequar a ela, as empresas precisam organizar seus arquivos e eliminar todos os dados incorretos e desatualizados que estão armazenados. Embora essa tarefa aparente ser apenas um aumento de trabalho, ela tem o potencial de beneficiar a companhia.

Isso ocorre porque, graças ao conceito de Big Data, as informações têm sido cada vez mais relevantes no processo de tomada de decisões. Por essa razão, ao manter dados incorretos registrados, uma companhia corre o risco de usá-los na elaboração de suas estratégias, o que, obviamente, poderia lhe causar uma série de problemas e prejuízos.

Por esse motivo, a nova regulamentação também abre espaço para que as companhias elevem a qualidade das informações que têm à disposição. Um elemento que, se usado corretamente, tende a se tornar uma verdadeira vantagem estratégica.

4. Incentivo para atualização de sistemas

Para se adequar ao conjunto de exigências criadas pela Lei Geral de Proteção de Dados, o time de TI da empresa precisa se inteirar, de forma adequada, sobre os critérios que devem ser seguidos, o que inclui as práticas que devem ser adotadas e as tecnologias que a empresa precisa começar a utilizar.

Assim como o tópico anterior, essas atividades extras parecem apenas elevar a carga de trabalho para os colaboradores da empresa e, por consequência, aumentar seus custos, mas a realidade não é assim tão simples.

Para implementar a nova política de proteção de dados, os profissionais precisam se atualizar, o que abre espaço para que eles se tornem ainda mais capacitados e experientes.

Essa pode ser a oportunidade perfeita para que a empresa invista na área de TI, fornecendo aos especialistas em tecnologia a capacitação de que eles precisam.

Atualmente, o uso de computadores e de redes de transmissão de dados é fundamental para o funcionamento de qualquer negócio. Ao elevar a capacidade do setor responsável por eles, a empresa é capaz de melhorar seus sistemas como um todo, o que refletirá de modo positivo em seus resultados.

5. Acesso a mercados internacionais

Quando pensamos nos objetivos de uma companhia, não é um exagero alegar que um dos mais importantes é crescer, conquistando novos mercados e clientes. A grande questão é que o modo como as empresas no Brasil tratam a apuração e o armazenamento de dados se tornou uma barreira que as impede de ganhar relevância em certos mercados.

Na Europa, por exemplo, onde as normas para proteção de informações são mais rígidas, as empresas nacionais não podem operar enquanto não atualizarem suas práticas.

A Lei Geral de Proteção de Dados, por sua vez, leva as companhias brasileiras a adotarem o mesmo padrão rígido para o armazenamento de dados pessoais, o que abre espaço para que elas possam atuar com maior facilidade em outros territórios.

Quando as regras com as quais as pessoas estão acostumadas mudam, é natural que elas sintam algum desconforto no processo de adaptação. Além disso, a evolução eleva a qualidade de serviços e produtos, o que a torna benéfica tanto para empresas quanto para os seus clientes.

Para implementar corretamente os novos requisitos impostos pela LGPD, a empresa precisa capacitar seu time de TI e investir em softwares e hardwares especializados. Nesse contexto, as soluções em nuvem tendem a ser muito úteis.

Agora que você entende como a Lei Geral de Proteção de Dados pode beneficiar sua empresa, que tal conhecer mais a respeito de uma solução capaz de auxiliar seu negócio com o armazenamento e a proteção de dados?

Baixe nosso e-book e descubra como a tecnologia em nuvem pode otimizar a gestão de sua empresa!

Posts relacionados

Deixe um comentário