outplacement outplacement

O que é outplacement e como aplicar na sua empresa? Contamos aqui!

10 minutos para ler

Se pensarmos em todas as tarefas realizadas pelo time de RH, podemos listar o desligamento de colaboradores entre as mais complexas. Afinal, independentemente do motivo, o fim de uma relação de trabalho nunca é simples. Felizmente, a estratégia de outplacement surge como uma solução eficiente para atenuar conflitos e mudar essa situação.

Ao implementar a técnica, uma empresa torna seus processos de desligamentos mais humanizados, ao mesmo tempo que fornece ao colaborador o suporte necessário para alcançar uma nova colocação. Tais cuidados geram para a organização e para o colaborador uma série de vantagens.

Você gostaria de compreender melhor este tema? Leia o artigo e descubra como implementar o outplacement em sua empresa!

Como funciona o outplacement?

O outplacement é uma técnica desenvolvida por especialistas, como psicólogos e profissionais de Recursos Humanos, que visa deixar o desligamento de colaboradores o menos traumático possível, tanto para a empresa quanto para o colaborador.

A técnica em questão busca tornar o processo mais humanizado, apontando um profissional especializado para comunicar o colaborador a respeito do fim de sua relação com a empresa. Cabe a esse profissional prestar as orientações e o auxílio necessário para que o ex-funcionário encontre o mais rápido possível uma nova posição no mercado de trabalho.

Dentre os modos que o profissional de RH pode ajudar o ex-colaborador em sua nova empreitada, podemos citar os seguintes:

  • auxiliar na elaboração de um currículo;
  • indicar pontos e comportamentos prejudiciais em um processo seletivo e no dia a dia de uma empresa;
  • orientar o ex-colaborador a respeito de métodos de networking.

Origens da estratégia de outplacement

Apesar da importância do outplacement para as empresas e organizações, não existe um consenso geral, entre os especialistas, a respeito do surgimento da estratégia. Costuma ser aceito, porém, que um dos primeiros usos da metodologia de desligamento humanizado foi feito pela empresa estadunidense Humble Oil, ainda na década de 1960.

Já na década de 1970, em meio à recessão nos Estados Unidos, muitas companhias e indústrias se viram forçadas a demitir um grande número de colaboradores. Nesse cenário, a estratégia de outplacement começou a ser implementada e desenvolvida, de modo mais incisivo.

O desligamento humanizado se mostrou uma ferramenta capaz de melhorar as condições dos colaboradores, ao mesmo tempo que protegia a imagem das empresas que o praticavam. Vantagens estas que fizeram que, mesmo hoje, em meio ao conceito de RH 4.0, a estratégia ainda seja atual e amplamente utilizada.

Quais os benefícios do outplacement?

É possível que, acreditando que o outplacement é benéfico apenas para o colaborador, muitos gestores menosprezem sua importância e o deixem de lado. Tal atitude é um erro, pois a técnica de desligamento humanizado acarreta uma série de vantagens para empresas, independentemente de seu porte ou área de atuação. Saiba mais, a seguir!

Otimização da marca empregadora

Vivemos um período em que, graças às tecnologias disruptivas, como a internet e dispositivos eletrônicos, as pessoas trocam informações rapidamente.

Nesse novo cenário, um ex-colaborador descontente, que se sentiu destratado ou menosprezado por seus antigos empregadores, pode causar sérios problemas à sua imagem com críticas negativas. Uma situação que pode afetar o modo como os clientes, e até mesmo os colaboradores atuais da empresa, a encaram, reduzindo suas margens e níveis de produtividade.

O desligamento humanizado, porém, tende a fazer que mesmo a última experiência do funcionário com a empresa seja agradável e, assim, aumentem as chances de ele fazer críticas positivas sobre a organização.

Retenção e captação de talentos

A imagem positiva da empresa cria um clima organizacional mais agradável para seus colaboradores. Isso ocorre porque eles entendem que, ainda que sejam desligados da empresa, vão contar com o apoio necessário para alcançar uma nova posição.

Essa característica, somada a outras políticas adotadas pela empresa, reduz a saída de profissionais, pois cria para eles um ambiente ideal de trabalho.

Neste contexto, é válido ressaltar que os melhores talentos costumam buscar uma colocação que lhes forneça espaço para crescer e boas condições de trabalho. O clima organizacional agradável, criado pelo outplacement, é encarado como um grande diferencial para a empresa.

Produtividade

É válido ressaltar que ao se sentirem mais seguros e valorizados, os colaboradores de uma companhia tendem a ficar mais motivados. O que se reflete em seus níveis de produtividade e engajamento, que se tornam mais elevados.

Levando esses fatos em consideração, é fácil entender por que a estratégia de outplacement deve ser implementada pelo setor de Recursos Humanos, assim como o RH inteligente.

O que fazer para implementar o outplacement?

Como foi citado no começo deste artigo, a finalidade do outplacement é ajudar o colaborador a conquistar o mais rápido possível uma nova posição no mercado de trabalho.

Para alcançar esse objetivo, o profissional de RH designado pela empresa pode aplicar uma série de estratégias. Continue a leitura e entenda algumas das soluções mais recorrentes!

Planejamento de carreira

O profissional de RH deve estar atento a detalhes como o perfil do ex-colaborador e, com base em suas experiências e qualificações, ajudá-lo a planejar sua carreira.

Nesse momento, o colaborador pode ser encorajado a fazer algum curso para desenvolver uma habilidade complementar ou, até mesmo, receber feedback a respeito de um algum hábito negativo que o prejudica em processos seletivos ou no ambiente de trabalho.

É válido ressaltar que, dependendo do perfil do ex-colaborador, abrir um negócio próprio pode ser a melhor opção. Nesse caso, o profissional de RH deve recomendar que ele busque organizações capazes de auxiliá-lo, como o Sebrae.

Criação de rede de contatos

Para que o ex-colaborador encontre uma nova colocação, ele precisa estar inteirado a respeito das posições em aberto e, ao mesmo tempo, se apresentar como um candidato qualificado. A grande questão é que, sem contatos, receber esse tipo de informação pode ser muito difícil.

Por essa razão, é importante que o profissional de RH oriente o ex-funcionário sobre maneiras de fazer networking. Dentre as soluções que podem ser apresentadas, algumas das mais simples e eficientes são as seguintes:

  • usar o perfil do LinkedIn de modo otimizado, seguindo e interagindo com as pessoas certas;
  • fazer cursos de especialização na área em que pretende atuar;
  • participar de congressos e eventos relacionados a sua atividade profissional.

Marketing pessoal

O marketing pessoal é outro ponto muito importante para que o profissional encontre uma nova posição no mercado. Afinal, o modo como ele se apresenta afeta diretamente a maneira como é visto por recrutadores e gestores. Neste contexto, é interessante que o profissional de RH oriente o ex-colaborador sobre as maneiras mais eficientes de demonstrar suas qualidades e capacitações.

Além disso, o profissional precisa orientar o ex-funcionário a respeito de fatores que podem prejudicar sua imagem perante o mercado. Atualmente, um dos pontos mais críticos relacionados a esse respeito é o uso inadequado de redes sociais. Por essa razão, é interessante que o ex-colaborador entenda que determinadas postagens podem prejudicar sua imagem.

Objetivos do desligamento humanizado

Após todas as informações apresentadas até agora, é fácil chegar à conclusão de que o objetivo final da estratégia de outplacement é aprimorar as políticas de Recursos Humanos, para que o processo de desligamento seja realizado de modo mais inteligente e menos problemático para o colaborador e para a empresa.

Para alcançar tais metas, as empresas precisam investir na qualificação de seus profissionais de RH e na aquisição de ferramentas e tecnologias que aumentem a eficiência de seus esforços.

Processo de outplacement na prática

Embora os processos de desligamento humanizado exijam a participação de profissionais especializados, podemos dizer que alguns de seus passos costumam ser sempre os mesmos.

Porém, é válido ressaltar que, para que a estratégia de outplacement de fato seja bem-sucedida, ela deve necessariamente ser executada por profissionais com as devidas qualificações.

Continue a leitura e confira alguns dos pontos mais importantes para que o desligamento de colaboradores em uma empresa realmente seja humanizado.

Preparações iniciais

Assim que o time de Recursos Humanos é informado a respeito do desligamento, o primeiro passo a ser dado é a realização de uma pesquisa sobre o colaborador. Nesse momento, todas as informações relevantes, registradas em seu histórico, devem ser devidamente consideradas.

Este cuidado é indispensável em uma estratégia de outplacement. Afinal, sem dados, o profissional responsável pela tarefa simplesmente não será capaz de lidar com o colaborador de um modo eficiente. Isso pode induzi-lo a cometer erros e tornar o processo traumático.

Anúncio de desligamento

Uma vez que o profissional responsável pelo outplacement está devidamente informado, ele precisa definir alguns pontos importantes, como o tom que usará na reunião e o plano utilizado para prestar suporte ao colaborador.

Só então ele deve encontrar o colaborador e dar a notícia a ele. A grande questão é que, quando se lida com pessoas, é impossível que todos os fatores sejam mapeados e planejados. Isso significa que, em muitas situações, o profissional de outplacement pode se ver forçado a se adequar a uma situação adversa, o que exige capacitação, experiência e até mesmo empatia.

Suporte e orientação profissional

Por fim, depois de comunicar o colaborador sobre o fim de seu relacionamento com a empresa e confirmar que ele está em condições emocionais adequadas para seguir com a reunião, cabe ao profissional apresentar a ele opções e alternativas de ação.

Esse plano precisa estar alinhado ao perfil do colaborador e apresentar, por exemplo, pontos em que ele pode melhorar seu desempenho, bem como áreas de seu currículo e habilidades às quais deve dar destaque em entrevistas.

O importante é que, mais do que apenas confortar o colaborador, o processo de outplacement o prepare para novas oportunidades e o ajude a definir novas metas e objetivos.

Por meio de uma estratégia bem estruturada de outplacement, uma empresa é capaz de prestar a seus colaboradores um apoio humanizado em um dos momentos mais difíceis de sua carreira, o que abre espaço para o colaborador em questão ser capaz de encontrar uma nova colocação com mais facilidade.

Esse apoio fornecido pela empresa acaba por melhorar a autoimagem do profissional e, até mesmo, aumentar seu engajamento e sua produtividade, o que torna a aplicação da metodologia altamente recomendada.

Ler este artigo ajudou você a perceber a importância da estratégia de outplacement? Sua empresa já pratica o desligamento humanizado? Deixe um comentário e compartilhe sua visão sobre o tema conosco!

Posts relacionados

Deixe um comentário