4 regras de usabilidade para melhorar sua interface

4 minutos para ler

Quando pensamos em um sistema inteligente, realmente capaz de atender as demandas de seus usuários, a usabilidade de sua interface é um dos fatores mais importantes. Afinal, por mais funções e aplicações que o sistema em questão ofereça, elas não terão utilidade se o usuário não for capaz de usá-las.

Por esse motivo, é fundamental que a experiência do usuário seja devidamente considerada. Ao planejar a interface, é necessário que os responsáveis pela tarefa se questionem o quão facilmente uma pessoa, não tão alinhada à tecnologia, poderia fazer uso de suas funções.

Para ajudar você nessa tarefa, separamos 4 dicas capazes de tornar suas interfaces mais intuitivas. Acompanhe!

1. Diálogos eficientes

O primeiro passo para otimizar a usabilidade de um sistema é tornar seus diálogos simples e alinhados à realidade do usuário. Os termos e informações devem ser apresentados de um modo que a pessoa usando o sistema compreenda as características de cada funcionalidade, entregue por ele, e entenda o que está fazendo.

Para que esse resultado seja alcançado, a informação deve ser apresentada de forma clara o bastante para que o usuário compreenda o que está acontecendo em poucos segundos.

É importante que os responsáveis por desenvolver a interface levem em consideração que o usuário tende a ter dificuldades para se lembrar de um grande número de comandos e funções. Para resolver esse problema, é interessante que o próprio sistema, com base nas atividades do usuário, ofereça sugestões de comandos e de ações, simplificando assim sua operação.

2. Funcionalidades constantes

Outro ponto fundamental, quando pensamos em usabilidade, é a constância das funcionalidades. Isso ocorre porque, se comandos forem alterados, ou trocarem de lugar sempre que o sistema é inicializado, o usuário simplesmente não será capaz de aprender como encontrá-los. O que tende a tomar tempo, tornando o colaborador menos produtivo.

Para evitar esse problema, a interface deve ser sempre igual quando o usuário logar o sistema, independente de quantas telas ou abas ele abra. Além disso, é importante que as funcionalidades e comandos se mantenham os mesmos. Essa padronização simplifica a atuação do colaborador, aumentando assim sua produtividade.

3. Feedback

Mesmo usuários experientes podem ter problemas com algumas funções, o que pode tomar tempo e até mesmo levá-los a cometer erros. Por essa razão, é importante que a interface ofereça feedbacks constantes e inteligentes.

Ao abrir uma pequena janela de aviso sempre que o usuário efetuar um comando, informando a ele as consequências do comando em questão e perguntando se ele pretende prosseguir ou não, o sistema o mantém informado a respeito do que está ocorrendo. Tal funcionalidade acaba reduzindo drasticamente a incidência de erros e de retrabalho.

4. Atalhos inteligentes

Por fim, é importante que os responsáveis pelo desenvolvimento da interface levem em consideração que algumas funções costumam ser utilizadas com mais frequência do que outras. Ao criar atalhos simples para essas funções mais usadas, o time de desenvolvimento permite que o usuário as acesse mais rapidamente, otimizando assim todo o seu trabalho.

A grande questão é que a usabilidade está diretamente relacionada à facilidade com que o usuário final consegue utilizar o sistema. Portanto, para otimizá-la, o time de desenvolvimento deve pensar em como simplificar a compreensão das funcionalidades oferecidas pelo sistema e o acesso a elas.

Levando esse fato em consideração, podemos chegar à conclusão de que uma interface inteligente deve ser elaborada de acordo com as demandas de seus usuários.

Depois de ler este artigo e de aprender como aumentar a usabilidade de sua interface, que tal descobrir como tornar seus backups mais seguros e eficientes?

Posts relacionados

Deixe um comentário